Translate

Receba por e-mail nossas publicações

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

ANSIEDADE

A ANSIEDADE

 A ansiedade está no topo da lista dos grandes males que afligem a sociedade dos nossos dias.

A ansiedade é um estado emocional de inquietude, medo e perturbação do Sistema Nervoso Central.

CAUSAS

Sociais: Cuidados excessivos com a vida e com o acúmulo de bens materiais; dívidas insolúveis, saúde, etc.
Drogas: Lícitas e ilícitas (álcool, etc.).
Espirituais: Fé vacilante.
Emocionais: Medo, insegurança, desesperança.

SINTOMAS

Físicos: Sudorose, fadiga, cefaléia, taquicardia, nervosismo, etc.
Emocionais: Medo, confusão mental, dificuldade para relaxar, insônia, etc.
Espirituais: Dificuldade para orar, santificar-se e ler a Bíblia.

TRATAMENTO

Medicamentoso: Há remédios para tratar a ansiedade. ( Consulte seu médico)
Físico-emocional: Caminhada, leitura de um bom livro, etc.
Espiritual: Fé, oração, leitura bíblica e esperança em Deus.

Conheça os sintomas  e vença a ansiedade de seu coração.

 A psicologia define a ansiedade como um estado emocional dolorosa, marcada por inquietude, medo e acompanhado por certo grau de perturbação do sistema nervoso. Algumas de suas principais causas são:

1.Fé vacilante. A fé vacilante em Deus é a principal causa da ansiedade (Mateus 6:30-34). Uma fé fraca e inconstante pode resultar em uma série de "medos". São sentimentos de grande inquietação ante um perigo real ou imaginário medo do insucesso, de enfermidades, de rejeição, de perder o emprego, de falência, do futuro, e até da morte (Sl 39.6; Ec 4.6; Lc 10.41; 12.29; 21.34).

2.Cuidados excessivos com a vida. Vejamos os principais:

a) Cuidados com a ascensão social. Querendo ou não, em algumas situações, somos forçados a competir o tempo todo. Na vida profissional, por exemplo, muitos disputam promoções, nem sempre de forma leal. O esforço para se manter em constante ascensão social e profissional é uma das principais causas de ansiedade no mundo moderno.
A inquietação ansiosa de Saul, em razão do sucesso de Davi, trouxe ao rei intensas perturbações e sérios problemas de ordem física, mental e espiritual (1 Sm 18.7-16).

b) Cuidados com o acúmulo de bens materiais. Muitos compram uma casa pequena hoje, desejam outra maior amanhã, depois uma mansão, e mais tarde um castelo (Pv 15.16; 30.15). Segundo a Bíblia, "não há fim" para o trabalho dos homens e "nem os seus olhos se fartam de riquezas" (Ec 4.8). Contudo, somos admoestados pelo Senhor a vivermos uma vida piedosa e cheia de contentamento (Lc 3.14; Fp 4.11; 1 Tm 6.6-8).

Antídoto Eficaz

O melhor e mais eficaz antídoto contra a ansiedade é a confiança inabalável nas palavras de nosso Senhor Jesus. Ele ordenou: "Não vos inquieteis".

A gélida lágrima e o frio soturno da desesperança se dissiparam ante o sussurro da fé de Ana (1 Sm 1.10,13,15). Enquanto orava, o Espírito a confortava: "Não vos inquieteis" (Rm 8.26). A latente dor de Ana era manifestada apenas no altar da oração, refúgio dos oprimidos e ansiosos (Ap 8.3,4). Ela perseverava diante de Deus, mesmo quando as lágrimas e os verbos lhe faltaram (Cl 4.2). O cicio melancólico foi rompido e vencido pela convicção interna de que Deus a ouvira (1 Sm 1.18,19).

"Não vos inquieteis"! O mesmo Deus que socorreu e confortou a Ana é o mesmo que o toma pela mão direita e diz: "Não vos inquieteis"! (Sl 73.23).



quinta-feira, 16 de agosto de 2012

CHÁS


Calmantes Naturais

Calmantes Naturais
Calmantes naturais são muito usados para o combate da ansiedade, stress e irritação causado pelo o dia-a-dia agitado. Durante o dia, somos sujeitos à ansiedade e estresse desnecessários, causados por maus hábitos que se tornam rotina com o decorrer dos dias.
Para combater os males da mente, os médicos costumam receitar remédios como os ansiolíticos, que barram a ansiedade e ajudam a tratar certos tipos de depressão. O perigo é o exagero na hora de recomendar esse tipo de tratamento: entre 2006 e 2010, a venda dos famosos “tarja preta” aumentou 36% no Brasil. Ou seja, a população está mais estressada.
Como alternativa para esse uso excessivo, que pode causar sérios efeitos colaterais e até dependência, alguns apontam para os fitoterápicos, que são feitos com plantas e agem de forma semelhante às drogas sintéticas. Quem nunca ouviu o conselho de tomar chá de camomila para se acalmar?
Na hora de comprar fitoterápicos, procure ficar atento ao rótulo do produto. Nele, há o número de registro da ANVISA. Para ser registrado, o remédio deve passar por testes que comprovam sua eficácia, segurança e qualidade.

Plantas Fitoterápicas

Passiflora, valeriana e erva de São João: esse trio é bastante utilizado pela indústria farmacêutica em fórmulas que tratam casos de depressão leve a moderada. As três plantas contêm substâncias que atuam nos neurônios e diminuem a atividade do sistema nervoso, relaxando o indivíduo.
Em casos em que a ansiedade não é tão grave, um chazinho com plantas pode ser um grande aliado.
Calmantes Naturais
Melissa: Também conhecida como erva-cidreira, tem óleos essenciais que acalmam levemente. Tem efeito sedativo, calmante, espasmolítico, digestivo e sonífero.
Calmantes Naturais
Camomila: A composição da camomila é formada por tanino, cânfora, ácido antêmico e um óleo essencial escuro muito utilizado no tratamento da gota, problemas de circulação, reumatismo e inflamações. Esta flor pode ser usada dentro do travesseiro no combate à insônia, estresse e ansiedade devido a seu papel calmante natural.
Calmantes Naturais
Erva-de-São-João : A eficácia da erva de São João foi comprovada por um estudo do Centro de Medicina Complementar de Munique, que apontou que a erva tem efeito superior ao do placebo e similar aos medicamentos antidepressivos em depressões leves e moderadas.
A utilização da erva de São João não deve ser feita sem orientação médica, especialmente em associação com outros medicamentos. As plantas medicinais funcionam como remédios e por isso não podem ser ingeridas arbitrariamente. Para ter o efeito do chá antidepressivo, tome 3 xícaras do chá por dia.
Calmantes Naturais
Passsiflora: Essa espécie de maracujá ajuda a controlar crises de ansiedade e depressão. Ação relaxante e antidepressiva, analgésica, antiespasmódica, hipotensora e sedativa. Esta planta medicinal também induz o sono e o relaxamento muscular.
Calmantes Naturais
Valeriana: Suas propriedades são extraídas da raiz. O uso da valeriana como calmante natural faz com que haja redução do nervosismo, e proporciona uma noite reparadora de sono.
O tratamento fitoterápico tem demonstrado cada vez mais a sua eficácia. Como qualquer tratamento, requer antes um diagnóstico correto da doença para que a planta utilizada seja eficaz. Vale a pena lembrar que as plantas também tem efeitos colaterais. Consulte sempre um médico para saber a dosagem correta para o seu caso.

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Dicas

Higiene da geladeira

A maioria das doenças transmitidas por meio de alimentos, como infecções e intoxicações, acontece em casa. Um dos perigos é a geladeira.

 A falta de higiene facilita o crescimento de bactérias e fungos e aumenta o risco de doenças. 

Limpá-la é simples: passe uma solução de água e detergente neutro. Use um pano embebido numa mistura com 2 colheres (sopa) de bicarbonato e 1 litro de água morna ou uma solução de vinagre dissolvido em água (meio a meio), pois retira manchas e não deixa cheiro; evite produtos abrasivos e esponjas de aço: eles arranham as paredes e facilitam o alojamento das bactérias e fungos.
Cláudio Lima apresenta o quadro Mais Saúde na TV Verdes Mares (Globo /CE)

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Trabalho voluntário-Faz bem


Voluntariado: ajudar faz bem à saúde

A atuação voluntária aumenta a expectativa de vida para quem auxilia o próximo, evita doenças graves como as cardiovasculares ou o câncer e ainda previne o estresse e a depressão. Para ser um voluntário não são necessários requisitos especiais, apenas motivação e a vontade de ser solidário.
Há pouco tempo, ser voluntário era apenas uma atividade realizada para ajudar os mais necessitados. Hoje, sabe-se que os benefícios para a saúde de quem pratica o voluntariado são significativos e podem até mesmo aumentar a expectativa de vida. De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), “o voluntário é o jovem ou o adulto que, devido a seu interesse pessoal e ao seu espírito cívico, dedica parte do seu tempo, sem remuneração alguma, a diversas formas de atividades, organizadas ou não, de bem-estar social, ou outros campos”.
Existem várias formas de atuação voluntária, e todas as pessoas em diferentes faixas etárias (de adolescentes a idosos) podem encontrar alguma atividade que cause identificação e a motivação necessária para continuar atuando. “Cada voluntário tem sua motivação interior para continuar atuando, mas identificar-se com a causa, conhecer e vivenciar os resultados das ações empreendidas solidificam a vontade de persistir no trabalho”, afirma Marta Balotin, presidente do Voluntariado do Centro Infantil Boldrini. Portanto, não é necessário ter nenhum requisito especial para ser voluntário, apenas disposição, boa vontade e tempo disponível.
Por que ajudar?
Segundo especialistas, ser um voluntário estimula a preocupação com os outros e faz com que ocorra uma mobilização por causas de interesse comum. Assim, ao estabelecer laços de solidariedade e confiança mútua, o ser humano fica mais fortalecido para enfrentar as crises e torna a sociedade mais unida ao lutar por um objetivo. “É necessário que a pessoa sinta vontade de se doar em prol de uma causa, que esteja disposta a fazer de sua ação algo que transforme ou melhore alguém ou algum lugar. O potencial e as habilidades de cada um irão se somar para que o resultado da ação seja positivo para todos”, relata Marta. Para Minda Nunes, presidente do Centro de Voluntariado de Osasco e Região (CVOR), escolher a área de atuação é fator fundamental: “Ao decidir em qual trabalho voluntário atuará, o indivíduo deve levar em conta os seus interesses pessoais como tempo disponível, motivação e principalmente se combina com a sua personalidade”.
Identificar-se com a causa, e vivenciar os resultados das ações solidificam a vontade de persistir no trabalho
A economista Lúcia Cantão fundou a Organização Não Governamental (ONG) Banco de Alimentos ao perceber que o desperdício nos alimentos no Brasil prejudicava a saúde de milhares de pessoas. Por ter conhecimentos na área, ela notou que esse problema poderia ser amenizado se ações corretas fossem realizadas. A ONG tem como objetivo minimizar os efeitos da fome, combatendo o desperdício e promovendo a educação e cidadania. “Somos todos um, tudo e todos estão relacionados. Não se trata mais só de mim ou você ou daquele outro: é a humanidade como um todo que está em questão. Ninguém deve mais se abster de sua responsabilidade individual de procurar entender e agir em relação à sua parte no processo de construção do ser humano pleno, da natureza e da vida”, afirma.
Doe seu tempo e ganhe qualidade de vida
● Ao ser voluntário, há a oportunidade de se fazerem amigos, viver novas experiências, sem falar na possibilidade de conhecer outras realidades.
● Trabalho voluntário é uma via de mão dupla: ao doar sua energia e criatividade, quem é solidário enriquece sua formação, aprende informações novas e, ainda, vivencia a satisfação de se sentir útil.
● O voluntariado é uma ferramenta de inclusão social – todos têm o direito de ser voluntários. Crianças, jovens, pessoas portadoras de deficiência, idosos e aposentados são exemplos de pessoas que podem e devem ser mobilizados.
● Não há fórmulas nem modelos a serem seguidos. Cada voluntário deve buscar o seu próprio caminho e se sentir realizado com a escolha.
Benefícios para a saúde
Mas como ajudar o outro pode acarretar benefícios para o próprio voluntário? Em 2008, uma pesquisa realizada na Universidade de Michigan (EUA) revelou que o voluntariado aumenta a expectativa de vida das pessoas que querem ajudar o próximo (e não por razões pessoais, como melhorar o currículo, por exemplo). O estudo, que foi realizado com 10 mil pessoas comprovou que os voluntários viveram cerca de quatro anos a mais comparados com as outras pessoas. De acordo com o estudo, liderado por Sara Kornath e Andrea Fuhrel-Forbis, o voluntariado estimula a produção de hormônios que combatem o estresse e geram a sensação de bem-estar que pode diminuir os efeitos da rotina. Consequentemente, evita doenças graves como problemas cardiovasculares e até câncer.
Ser útil para a sociedade é um dos principais motivos para ser solidário
Ser útil para a sociedade é um dos principais motivos para ser solidário. Médicos especialistas recomendam o trabalho voluntário para quem tem depressão e idosos aposentados que não realizam mais as suas atividades. Os familiares podem não gostar da atitude, mas é um dos melhores caminhos para colocar fim à tristeza e à melancolia. “A atividade de voluntariado a que se dedicam alguns indivíduos ao aposentarem-se sustenta a autoimagem de um cidadão útil, afastando- os dos processos depressivos”, afirma Cícero Coimbra, neurologista da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Para Minda, essa atitude não pode ser forçada ou negada. “O trabalho voluntário é espontâneo e deve ser respeitado, independente da faixa etária do participante. Por isso, o diálogo é fundamental nesses casos”, expõe. Para menores de idade, é necessária a autorização dos pais.
O psiquiatra americano George Vaillant, diretor de pesquisa do departamento de psiquiatria da Universidade de Harvard, conduziu uma pesquisa com centenas de indivíduos no século passado em relação ao estado emocional sustentado ao longo da vida e à manutenção da lucidez após os 80 anos de idade. Após décadas de pesquisa, concluiu-se que aqueles que mostram maior capacidade de sustentar serenidade e ponderação no enfrentamento de problemas similares tornaram- se lúcidos por mais tempo. “Indivíduos que sustentam elevado estresse emocional inibem a produção de neurônios novos e degeneram células nervosas mais rapidamente, devido à produção de neurotoxinas associada ao estado de sofrimento”, explica Coimbra.
O voluntariado estimula a produção de hormônios que combatem o estresse e geram a sensação de bem-estar
Segundo o neurologista, os voluntários mantêm ativa uma região do cérebro que diminui os riscos de depressões, além de aumentar a capacidade de resolver problemas e reduzir progressivamente as chances de terem demências como Alzheimer, por exemplo.
Além dos benefícios para a saúde, há a descoberta e desenvolvimento de potencialidades; aprendizagem de superação; aumento da criatividade e desperta a consciência social e pessoal do voluntário.
Como e por onde começar?
Quem quer atuar como voluntário e não sabe por onde começar pode procurar na web os centros de voluntariados que ficam mais próximos de sua residência. Há várias formas de atuação, e alguns sites oferecem ainda o serviço de busca de endereço com as entidades mais próximas da sua região. De acordo com Silvia Maria Louzã, do Centro de Voluntariado de São Paulo (CVSP), é importante o voluntário saber o que quer fazer. E, além disso, cada voluntário deve pensar quais as habilidades ou talentos que podem compartilhar. Ele precisa avaliar se pode cumprir o tempo de acordo com a sua disponibilidade, e também é necessária muita responsabilidade. O voluntário pode optar por trabalhar com ações individuais ou juntar-se a grupos comunitários. Para conhecer melhor as áreas de atuação, também é possível assistir a uma palestra nos centros de voluntariados. “Há mais de mil organizações sociais cadastradas no Centro de Voluntariado de São Paulo oferecendo oportunidades de ação voluntária na cidade. Há pessoas de todas as idades, mas observamos que as mulheres são mais solidárias, e as áreas de maior atuação são: saúde, educação e assistência social”, relata Silvia.
Contribuindo com a sociedade
O administrador Fernando Duarte sentiu a sua qualidade de vida e o humor alterarem após se tornar voluntário em Brasília (DF). Ele e mais 25 voluntários realizam palestras de motivação em escolas particulares e públicas. “Desde 2001 faço esse tipo de trabalho e senti uma mudança na minha saúde e nos relacionamentos pessoais e até mesmo profissionais. Já fui muito estressado, mas o fato de ajudar outras pessoas e deixar minha marca na sociedade contribuiu e muito para melhorar a minha qualidade de vida”, diz. Já Lívia Guimarães fundou em 2005 a ONG Atuação para auxiliar os jovens nessa fase difícil do vestibular, e hoje atua também com o recolhimento do óleo de cozinha usado para produzir sabão ecológico, e até criaram uma biblioteca comunitária. Ela relata que, ao ajudar, sente-se realizada e repleta de bem-estar. “Quis compartilhar meu momento de pré-vestibular com outros alunos, e surgiu a ONG. A satisfação é muito grande, sou mais feliz ao me doar”, confessa.
Onde atuar
● Igrejas
● Nos bairros e nas comunidades
● Grupos de auto-ajuda
● Programas promovidos por empresas
● Nos hospitais
● Instituições e programas de melhoria da educação
● Instituições e programas voltados para as pessoas portadoras de necessidades especiais
● Instituições e programas que trabalham com a terceira idade
● Nos grupos e organizações de preservação do meio ambiente
● Nos grupos e movimentos de luta contra a violência
● Nos clubes e associações esportivas
● Nos movimentos de luta contra a pobreza
● Em programas promovidos por órgãos governamentais

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Alimento X Depressão


Vida Saudável  pesquisou e trouxe para você está matéria que pode lhe auxiliar a melhorar a sua autoestima e vencer o mal do século que é a depressão  desencadeadora de muitas outras enfermidades.

Lembre-se que uma boa alimentação aliada com sua fé em Deus e em seu poder de curar as enfermidades são muito valiosas e pode lhe curar se você crer. 

Relaxe mais, sorria sempre mesmo sem vontade,faça exercícios físicos, aprecie a natureza,realize caminhadas, alimente-se bem  e vença!

Entre nesta luta e viva bem! 
12 alimentos para combater a depressão

Ricos em nutrientes, eles garantem bem-estar e ajudam no tratamento da doença.

A depressão é um transtorno mental bastante comum atualmente. Segundo o Ministério da saúde, estima-se que, na América Latina, 24 milhões de pessoas sofram com a doença. Num episódio depressivo a pessoa pode se sentir sem energia, com o humor afetado, sem interesse e sem vontade de fazer tarefas comuns da sua rotina, além dos sintomas físicos como dor de cabeça e dor de estômago. Segundo o nutrólogo Roberto Navarro, nosso cérebro produz substâncias chamadas de neurotransmissores que controlam inúmeras funções cerebrais. Um destes neurotransmissores, a serotonina, é capaz de dar ao cérebro sensação de bem-estar, regulando nosso humor e também dando sensação de "saciedade".

A alimentação pode ajudar a produzir mais serotonina, aumentando o bom humor e ajudando no combate da depressão, entretanto, vale lembrar que ela não substitui o tratamento da doença, com a intervenção medicamentosa e terapia. "Para a produção cerebral da serotonina há necessidade de "matérias primas" (chamadas de cofatores) fundamentais para sua síntese, como exemplos: triptofano (aminoácido), magnésio, cálcio (minerais), vitamina B6, ácido fólico (vitaminas)", ressalta Navarro. A seguir, conheça alguns alimentos que melhorar o seu humor e são excelentes coadjuvantes para dar uma "forcinha" no combate da doença. 

Castanha-do-pará, nozes e amêndoas: elas são ricas em selênio, um poderoso agente antioxidante. Segundo a nutricionista Abykeyla Tosatti, elas colaboram para a melhoria dos sintomas de depressão, auxiliando na redução do estresse. As quantidades diárias recomendadas são duas a três unidades de castanha-do-pará ou cinco unidades de nozes ou 10 a 12 unidades de amêndoas. Mas também dá para fazer um mix saboroso dessas oleaginosas.

Leite e iogurte desnatado: eles são ótimas fontes de cálcio, mineral que elimina a tensão e depressão. "O cálcio ajuda a reduzir e controlar o nervosismo e a irritabilidade. Ele participa também das contrações musculares, dos batimentos cardíacos e da transmissão de impulsos nervosos e regulariza a pressão arterial", explica a nutricionista Abykeyla Tosatti. É recomendado o consumo de 2 a 3 porções por dia.

Frutas: Melancia, abacate, mamão, banana, tangerina e limão são conhecidos como agentes do bom humor. "Todas estas frutas são ricas em triptofano, aminoácido que ajuda na produção de serotonina", explica a nutricionista  Abykeyla Tosatti. É recomendado o consumo de três a cinco porções de frutas todos os dias.

Laranja e maçã: elas ganham destaque porque fornecem ácido fólico, cujo consumo está associado a menor prevalência de sintomas depressivos. Além disso, por ser rica em vitamina C, a laranja promove o melhor funcionamento do sistema nervoso, garante energia, ajuda a combater o estresse e previne a fadiga.

Banana e abacate: a banana é rica em carboidrato (hidratos de carbono), potássio e magnésio. Também é fonte de vitamina B6, que produz energia. "A fruta diminui a ansiedade e ajuda a ter um sono tranquilo", explica Abykeyla. Tão bom quanto, o abacate é outra ótima opção, e antes de dormir. Consuma duas colheres de chá da fruta pura (sem açúcar ou adoçante) todos os dias antes de se deitar.

Mel: esse alimento estimula a produção de serotonina, neurotransmissor responsável pela sensação de prazer e bem-estar. Para usufruir dos benefícios, duas colheres de sobremesa, ao dia, são suficientes.



Ovos: "Eles são uma boa fonte de tiamina e a niacina (vitaminas do complexo B), que colaboram com o bom humor", aponta Abykeyla Tosatti. O recomendado é uma unidade por dia, no máximo. Quem tem colesterol alto deve se preocupar com o consumo em excesso, e evitar, principalmente a versão frita.



Carnes magras e peixes: "O triptofano, presentes nestas fontes de proteína, ajuda no combate da depressão e melhora o humor, pois aumenta a produção de serotonina, que exerce grande influência no estado de humor, pois é capaz de reduzir a sensação de dor, diminuir o apetite, relaxar, criar a sensação de prazer e bem-estar e até induzir e melhorar o sono", enfatiza a nutricionista Abykeyla Tosatti. Ela recomenda entre uma e duas porções por dia, principalmente de peixes como atum e salmão. 
Atenção:(Este item é para os não vegetarianos,se você for vegetariano poderá aproveitar os benefícios dos outros alimentos.) 

Carboidratos complexos: eles ajudam o organismo a absorver triptofano e estimulam a produção do neurotransmissor serotonina, que ajuda a reduzir as sensações de depressão. "Uma alimentação pobre em carboidratos, por vários dias, pode levar a alterações de humor e depressão. Alimentos fontes de carboidratos: pães, cereais integrais (trigo, arroz)", explica a especialista Abykeyla Tosatti. A recomendação é de 6 a 9 porções diárias.

Aveia e centeio: os dois são ricos em vitaminas do complexo B e vitamina E. "Estes nutrientes possuem grande importância, pois, melhoram o funcionamento do intestino, combatem a ansiedade e a depressão", diz a nutricionista Abykeyla Tosatti. A recomendação é de, pelo menos, três colheres de sopa cheia por dia.

Folhas verdes: estudos mostram que uma alimentação com consumo elevado de folato (importante vitamina do complexo B) está associada a menor prevalência de sintomas depressivos. Um dos alimentos ricos em folato são as hortaliças folhosas verde-escuras (espinafre, brócolis, alface). "Algumas pesquisas mostram que indivíduos deprimidos podem apresentar baixos níveis de vitamina B12, levando a diminuição do folato e o desequilíbrio do metabolismo dos neurotransmissores do cérebro associados ao controle do humor", adverte a especialista Abykeyla Tosatti. O recomendado é a ingestão diária de três a cinco porções por dia.

Soja: ela é rica em magnésio que é o segundo mineral mais abundante no nosso organismo e desempenha um papel fundamental na energia das células. Sua deficiência pode resultar em falta de energia. "O magnésio ajuda a reduzir a fadiga e aumentar os níveis de energia. Esse mineral combate o estresse porque tem propriedades tranquilizantes naturais, principalmente quando combinadas com cálcio", explica a nutricionista Abykeyla Tosatti.

Fonte:http://www.minhavida.com.br/alimentacao




terça-feira, 7 de agosto de 2012

Alimentação & Vitiligo


Dieta do VITILIGO

Os pacientes portadores de vitiligo devem ficar atentos quanto a alimentação: é importante o consumo de alimentos ricos em finilalanina (aminoácido precursor da melanina, responsável pela pigmentação da pele ), assim como ricos em VIT. A (ajuda a manter saudáveis as camadas externas de tecidos )

Melhores fontes naturais de FENILALANINA:

- Todos os alimentos ricos em proteínas (ovo, carne de boi, nozes, feijão e frutos do mar)
- Miolo de pão
- Soja
- Requeijão
- Leite desnatado e desidratado
- Amendoim
- Semente de abóbora
- Semente de gergelim

Melhores fontes naturais de Vitamina A:
- Óleo de fígado de peixe
- Cenoura
- Vegetais verdes e amarelos
- Ovo
- Leite
- Queijo
- Iogurtes
- Margarina
- Frutos amarelos (melão, banana e pêra)

Evite:
- Carne de porco
- Torresmo
- Feijoada
- Rabada
- Defumados
- Frituras

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Você precisa saber


O que é vitiligo?
É uma doença adquirida, ainda sem causa definida, caracterizada pela ausência de melanina na pele por destruição ou inativação dos melanócitos.

O que é melanócito e melanina?


Melanócitos são as células da pele responsáveis pela produção da melanina, que é a substância que dá côr à pele.
Melanócito visto em microscopia (imunofluorescência)
Vitiligo é uma doença comum?

Acomete cerca de 1% da população mundial, atinge todas as raças e ambos os sexos, em qualquer idade. Em cerca de metade dos casos aparece antes dos 20 anos de idade.

Qual a causa da doença?


Não é ainda conhecida, porém várias teorias tentam explicar a doença, entre elas:

Teoria genética: cerca de 1/3  dos pacientes apresenta outros casos na família e foram descritas ocorrências em gêmeos homozigóticos.

Teoria autoimune:considera que alterações do sistema imunológico poderiam resultar na destruição dos melanócitos. Baseada na observação frequente de vitiligo na vigência de outras doenças auto-imunes como hipotireoidismo, diabetes, anemia perniciosa e alopecia areata. Foi ainda observado anticorpos específicos dirigidos contra os melanócitos.

Teoria citotóxica:tem como base evidências de que metabólitos liberados na síntese e degradação da melanina podem ser tóxicos para os melanócitos, levando à sua destruição.

Teoria dos radicais livres: sugere que a destruição dos melanócitos seja resultado da liberação excessiva de radicais livres no organismo.

Teoria neural: mediadores químicos liberados nas terminações nervosas poderiam ser tóxicos para os melanócitos. Esta teoria poderia explicar a associação do vitiligo com estresse psíquico.

Teoria convergente: propõe a combinação das várias teorias para explicar a doença. O vitiligo poderia então ser um sinal ou parte de condições de origens diversas que apresentam em comum a destruição ou inativação dos melanócitos.

Como a doença manifesta-se?

Caracteriza-se por manchas brancas, bem delimitadas, de tamanho e número variáveis, localizadas em qualquer parte do corpo, muito frequente em áreas de trauma como mãos, cotovelos, joelhos e pés. É comum também atingir a face, principalmente nas regiões ao redor dos olhos e boca.

Pode aparecer também na área genital, em ambos os sexos. A despigmentação pode ainda afetar os pelos.

Manchas de Vitiligo
Como ocorre a evolução do vitiligo ?

A evolução ou extensão do vitiligo depende de cada pessoa. Na maioria dos casos começa como uma mancha em uma pequena área e com o passar do tempo pode surgir novas manchas em outras regiões. Em algumas pessoas pode permanecer estável por longos períodos ou ocorrer ocasionalmente um aumento das lesões. Em alguns casos pode ocorrer até mesmo repigmentação expontânea. Os tratamentos atuais podem ajudar no controle e repigmentação da doença e, quanto mais precocemente iniciado, melhor será o resultado.

Como classifica-se o vitiligo?

De acordo com a localização e extensão pode ser classificado em localizado (quando atinge pequena área), segmentar (atinge apenas um segmento do corpo), generalizado (quando atinge áreas mais extensas) ou universal (quando acomete mais de 75% da superfície da pele).
  
 Como é feito o diagnóstico?

Geralmente baseado no aspecto clínico das manchas e na história da evolução da doença. Raramente é necessário exame específico para diagnóstico, porém é fundamental  afastar doenças que podem estar associadas ao vitiligo (como o hipotireoidismo) e para isso pode ser preciso realização de exames laboratoriais. Existem ainda lâmpadas especiais que podem ser usadas para facilitar o diagnóstico.
 

 Exame com lâmpada especial evidenciando as lesões
O que é uma doença autoimune?

Condição em que o sistema imunológico de um indivíduo reage contra o próprio organismo ou determinado órgão através da produção de autoanticorpos. Doença autoimune não significa deficiência imunológica. No caso do vitiligo o sistema imunológico reconhece os próprios melanócitos como células estranhas e as atacam, levando a sua destruição ou inativação.

O vitiligo pode causar coceira?

Apesar de alguns pacientes refirirem prurido nas lesões, não há razão encontrada para que isso ocorra.

O vitiligo pode atingir a região genital?

Sim. Não é raro o vitiligo comprometer a área genital, afetando ambos os sexos. Às vezes a área genital é a única região afetada.

Quando o vitiligo afeta a área genital pode ser contagioso ou comprometer a função sexual ?

Não. O vitiligo quando afeta a área genital não é contagioso, não necessitando portanto de nenhuma proteção especial. Não existe também nenhuma razão para o vitiligo comprometer a função sexual.

Por que as pessoas com vitiligo necessitam cuidados especiais em relação ao sol?

Porque a melanina ajuda a proteger a pele dos raios solares. Como as manchas de vitiligo têm deficiência ou falta de melanina o sol pode causar danos à pele, como queimaduras graves. Por isso é tão importante a proteção solar. No entanto, alguns tratamentos de vitiligo incluem exposição ao sol, mas de uma forma controlada e de acordo com supervisão e orientação do médico responsável.

 Texto extraído de: www.vitiligo.med.br